Cuidados com a voz - parte II


Pra quem utiliza a voz com maior frequência, caso dos cantores (a bela da foto, é Simone Simons, dona de uma das vozes que mais admiro), professores, repórteres, radialistas, operadores de telemarketing e vendedores, por exemplo, vale seguir dicas de exercícios para relaxar e aquecer a voz, antes da atividade vocal.

- Rotação da língua no vestíbulo da boca,

- Lateralidade da língua (empurrar a língua contra a bochecha),

- Vibrar a língua,

- Vibrar os lábios,

- Bocejar,

- Protusão dos lábios (fazer bico como se fosse dar um beijo),

- Retração dos lábios,

- Rodar o pescoço em todas as direções , entre tantos outros exercícios.

O que mais afeta aqueles que utilizam a voz profissionalmente é a disfonia, que é conhecida popularmente como rouquidão. Disfonia é um distúrbio de comunicação, caracterizado pela dificuldade na emissão vocal, apresentando um impedimento na produção natural da voz. Pode ser ocasionado por uma disfunção, abuso vocal ou uso incorreto da voz, é mais freqüente em indivíduos que utilizam abundantemente a voz diariamente de uma forma incorreta. A disfonia é divida em: Disfonias Funcionais, Disfonias Orgânico - Funcionais e Disfonias Orgânicas.

Disfonias funcionais são aquelas que não apresentam nenhuma alteração visível nas pregas vocais, elas são decorrentes do mal uso ou do abuso da voz. Geralmente ocorrem em profissionais da voz que não tem nenhum tipo de orientação. Existem 3 fatores que podem vir a desencadear uma disfonia funcional:

1- Uso incorreto da voz : Ocorre em pessoas, sejam profissionais da voz ou não, que utilizem a voz abundantemente durante todo dia, sem ter nenhuma noção de como usa – lá corretamente.

2- Inadaptações Vocais : Não existe, no corpo humano, um aparelho que tenha por função específica a fonação, mas o que temos é uma adaptação de várias estruturas, formando assim o aparelho fonador. Quando não existe uma boa adaptação destas estruturas, ocorre o que chamamos de Inadaptações Vocais.

3- Alterações Psicoemocionais: Nossas emoções influenciam e são responsáveis por mudanças na nossa voz. A voz, como já foi dito anteriormente, faz com que nos comuniquemos com outras pessoas; se temos alguma emoção muito forte (raiva, ansiedade, alegria), poderá repercutir em nossa voz, provocando uma disfonia funcional.

Disfonias orgânico-funcionais são, em geral, iniciadas com uma disfonia funcional que tem seu diagnóstico tardio, como a disfonia funcional não foi tratada, então ela evolui para uma lesão secundária nas pregas vocais.

Disfonias Orgânicos são aquelas que apresentam uma alteração anatômica nas pregas vocais. Existem vários tipos de alterações anatômicas, veremos algumas:

Nódulos: São tumores benignos nas pregas vocais, podem ter sua origem no mau uso da voz. O tratamento é feito através de fonoterapia e só em alguns casos tem que haver uma intervenção cirúrgica.

Pólipos: São tumores benignos nas pregas vocais. O seu tratamento é cirúrgico, e seguido de fonoterapia.

Paralisia das pregas vocais: Ocorre devido a uma lesão nervosa, podendo atingir uma prega vocal ou ambas. Isso pode acontecer por alterações cerebrais, ou alterações cardíacas, ou tumores. O tratamento é feito através de fonoterapia, e em alguns casos é necessário realizar cirurgia com o objetivo de melhorar o posicionamento das pregas vocais.

Câncer: É um tumor maligno que localiza-se nas pregas vocais. Ocorre com maior freqüência em fumantes. O tratamento pode ser cirúrgico ou radioterápico.

Para maiores esclarecimentos sobre disfonia, ou caso a rouquidão permanecer mais de 15 dias, procure um fonoaudiólogo.

Comentários

Jú :) disse…
Eu AMO a Simone! Já ouviu a banda dela, o Épica?
Anônimo disse…
eh Epica, sem o (´)

Postagens mais visitadas deste blog

Paola Oliveira Fumando

KARI: muito mais que um vestido indiano

Creme nota 10: Avon Solutions Cellu-Sculp Redutor de Celulite e Medida